“Páginas da Morte” filme datado de 1962 anti-pornografia

A Sociedade Histórica do Oregon, descobriu um filme datado de 1962 trata-se um filme de 16 milímetros.
Traduzindo o título chama-se “Páginas da Morte” é uma película de 16 milímetros e educativa, o intuito é provar de forma irrefutável que ver material pornográfico pode levar jovens saudáveis a um frenesim homicida, felizmente esta pérola cinematográfica foi redescoberta!
Filmes deste não são inéditos podemos pensar no “Reefer Madness” a tese apresentada pelo filme é de que a pornografia tem um efeito destruidor da mente.

O filme inicia-se com o Tom Harmon que era comentador e jogador Americano muito conhecido na época, em que ele diz algo como “ Sou o Tom Harmon e eu tenho uma história muito especial para si”, ele olha para a câmera e mostra a imagem de uma criança  karen de 11 anos que teve um destino terrível.

Ai somos transportados para um bairro nos arredores, onde karen vivia e vê a mãe aflita porque a menina não chegou em ainda a casa, enfim e sumariando a menina acaba a ser encontrada praticamente morta no lixo. A pessoa que acaba a ser investigada para além de outras provas que haviam, acaba a ser dada como culpada por parte dos detetives assim que eles descobrem que tem pornografia. E imaginam que nos anos 60 pornografia era tão mais limitada que hoje.
Bom temos de referir que esta película foi criada por uma sociedade existente na época chamada de Cidadãos da Literatura Decente, então claro trata-se de uma campanha e propaganda anti-porno. Este filme nunca passou nos cinemas ele foi exibido em escolas, igrejas, grupos cívicos e em grupos sem fins lucrativos, grupos que temiam toda a mulher que se desnudasse para revistas ou filmes.
O filme ainda que valha a pena ver, quanto mais não seja pelo seu conteúdo histórico e ser um reflexo do medo que havia de que a juventude se perdesse. Filme que demoniza o que é erótico ou sexual. Claro que visto de acordo com o padrões culturais e morais de hoje o filme chega a ser absurdo e ate ofensivo, tá pornografia pode realmente tornar-se num vicio e traduzir-se num problema real, mas daí a sugerir que ver pornografia pode tornar alguém num homicida, uhmmm, já é um abuso.
Ver um detetive deixar transparecer que a causa do comportamento desviante e homicida se deve ao consumo de pornografia é aos olhos atuais bem estranho.
Independentemente de… O filme vale a pena ver, é um retrato de uma época e uma moral que vinha desde os anos 50 e que era muito defendida por determinados grupos da sociedade.
Então se vai assistir alguma coisa que seja pornográfica mate só a libido!
A  Sociedade Histórica do Oregon fez a gentileza de colocar o filme no youtube para conhecimento e apreciação deste pedaço de historia que ainda não seja a nossa, não deixa de ser também, já que a mente em determinados departamentos relacionados com moral é quase universal e fruto de uma época.



veja também:
“Ultimo Tango em Paris” diretor admite que cena da manteiga foi Estupro
32 Atores que tiveram sexo de verdade nas filmagens
O vídeo proibido de Clarice Falcão

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *