Câncer no seio: tintas do cabelo e contraceptivos são fator de risco

Câncer no seio: tintas do cabelo e contraceptivos são fator de risco
Câncer no seio: tintas do cabelo e contraceptivos são fator de risco
Estudo finlandês revela que quem pinta o cabelo com tintas que contenham químicos tem 23% mais risco de desenvolver câncer no seio e que quem toma contraceptivos hormonais também tem um maior risco de desenvolver a doença.
Sendo que as mulheres em pós-menopausa que usaram contraceptivos hormonais têm um risco 52% maior de ter câncer no seio e as que atualmente usam um contraceptivo hormonal de geração mais antiga veem o seu risco aumentado em 32%.
Segundo reporta o Daily Mail, este estudo junta-se ao conjunto de indícios de que os métodos contraceptivos à base de progesterona podem ser um fator de risco para o câncer no seio.
Quanto a pintar o cabelo, os cientistas alertam que os kits de coloração do cabelo usados tanto em casa como em salões de cabeleireiro (baratos e caros) representam um potencial risco para a saúde, pois crê-se que os produtos químicos nas tintas permanentes de cabelo reagem com outros poluentes no ar formando tumores.

Entre os químicos perigosos presentes nas tintas de cabelo estão: PPD (para-fenilenodiamina); ácido henotónico (lawsone); mercúrio amoniacal; peróxido; corantes de anilina.

Para este estudo um grupo de investigadores da Universidade de Helsinque analisou dados de cerca de 8000 pacientes com câncer no seio, a quem foi perguntado se usavam contraceptivos hormonais e se alguma vez pintarem o cabelo. Depois, os cientistas verificaram que existia uma ligação entre estes dois fatores e o risco de cancro da mama.
No entanto, os cientistas admitam que é preciso fazer mais estudos para perceber se estes dois fatores podem mesmo aumentar o risco de câncer no seio.
Veja também:
Descubra quanto de cafeína pode ser ingerida diariamente sem causar dano a sua saúde
Pílula do Dia Seguinte cada vez mais fácil de obter
Cuidados de beleza na quimioterapia: pele, cabelo e as unhas durante o tratamento

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*