Depressão Pós-parto | Aprenda a reconhecer os sintomas

Depressão Pós-parto aprenda a reconheçer os sintomas Depressão Pós-parto | Aprenda a reconhecer os sintomas
Falar em depressão pós-parto como num momento que só devíamos sentir alegria, um momento tão ansiado e almejado se pode ter sentimentos tão controversos? Sentimentos tão antagônicos…
A dúvida de se é possível? Se é normal? Tantas expectativas para ver aquele ser maravilhoso que carregamos, e porque não se sente como achou que devia?
Porque não tem o sorriso que vê nas revistas de bebé que comprou durante a gravidez? Bom, e porque não? Porque se falar de depressão pós-parto.
Primeiro, não está sozinha se acha que tem depressão pós-parto Fale com o seu marido, fale com sua mãe, sua amiga que já teve filhos. Nem todas as mulheres têm depressão depois do parto.
Quem foi mãe sabe que há alturas que psicologicamente são violentas o cansaço instalasse e a tristeza toma conta, não sendo necessariamente depressão.
São sentimentos complexos em que o amor avassalador que temos é assombrado por uma dúvida, uma dor. Amigas, mãe, marido podem ajudar e falar com alguém de confiança vai trazer paz e uma maior calma.
Pode ser babyblues, algo passageiro mas igualmente perturbador, ou pode ser algo mais sério. Tendo em conta isso, aqui tem uma lista de sintomas relacionados com depressão pós-parto (DPP).

Depressão Pós-parto aprenda a reconheçer os sintomas

Os sintomas da depressão pós-parto:

Sentir-se inquieta ou irritada.
Sentir tristeza, depressão ou chorar muito.
Falta de energia.
Ter dor de cabeça, dor no peito, palpitações no coração, falta de sensibilidade ou hiperventilação (respiração rápida e superficial).
Não ser capaz de dormir, muito cansaço, ou ambos.
Perda de peso e não ser capaz de comer.
Comer demais e ganho de peso.
Problema de concentração, falta de memória e dificuldade de tomar decisões.
Ficar exageradamente preocupada com o bebê.
Sentimento de culpa e inutilidade.
Ficar com medo de machucar o bebê ou a si mesma.
Falta de interesse em atividades prazerosas, incluindo o sexo.
Depressão afeta mulheres de todas as idades, classes sociais e etnias. Qualquer mulher que está grávida, teve bebê nos últimos meses, sofreu aborto ou recentemente parou de amamentar, pode desenvolver a depressão pós-parto.
A quantidade de filhos que uma mulher tem não afeta as hipóteses dela desenvolver depressão pós-parto. Estudos mostram que mulheres que tiveram problema de depressão anteriormente têm maior risco de desenvolver a depressão pós-parto

 

(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

É importante que saber que tem tratamento e que passa. O tipo de tratamento depende do quanto severa é a depressão. Esta pode ser tratada com medicação (antidepressivos) e psicoterapia.
Se a mulher estiver amamentando, ela precisa conversar com seu médico sobre o uso de antidepressivos, já que alguns desses medicamentos podem afetar o leite materno.
Se acha que pode estar com uma depressão pós-parto procure ajuda especializada, porque o que pode ser uma coisa simples de se tratar, ao se agravar será mais demoroso acarretando inevitavelmente consequências para si, para o bebé e para a sua família mais próxima.
Veja também:
Depressão Pós-Parto: O Bebê Nasceu, está Infeliz? Deve-se preocupar. 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *